O Coach Falou

Arrebente suas caixas!

 

Muito se fala em pensar fora da caixa.

Certamente você já disse ou ouviu alguém dizendo isso. Pois bem, pensar fora da caixa é usar a criatividade, ser disruptivo, inovador, olhar as coisas por outros ângulos, achar alternativas diferentes para os problemas, enfim, é sair da zona de conforto que a caixa representa e arriscar.

Entretanto, mesmo pensando fora da caixa, a tendência é que se volte para ela, mesmo considerando que, ao “pensarmos fora”, ampliamos o espaço e as paredes.

Hoje, ao ver algumas mensagens em minhas redes sociais, sobre outra de minhas atividades, me veio um pensamento: não é fora da caixa, mas SEM A CAIXA!

E parece que uma cortina caiu!

Pensa comigo: se eu pensar fora da caixa, ainda a manterei ali, para voltar. Suas paredes e as vezes até a tampa continuarão fazendo parte da minha vida. Serão como amarras, que parecem confortáveis, dão a falsa sensação de segurança, mas que não permitem ir além do seu próprio comprimento.

Pensar fora da caixa, pressupõem então, a manutenção da caixa.

E o que eu te proponho aqui, e que foi o que percebi tão alegremente, é acabar com a caixa!

Questione-se sempre se o que você faz é realmente o que ama fazer. Quais os motivos, que te prendem às suas caixas. Como pode fazer mais e melhor, com prazer o que está fazendo. Como Quanto de você está dentro da caixa, precisando loucamente sair e ser feliz, derrubando as paredes.

Claro que a caixa é metafórica e cada um aqui saberá quantas tem, que tamanho possuem, densidade das paredes, material da composição. Isso é parte de nossa individualidade e muito importante neste processo. Mas, atenção: você não é sua caixa. Você sequer precisa estar “dentro” dela. Quebrar ou derrubar uma parede de cada vez, olhar para si, reconhecer suas potencialidades e colocá-las a seu serviço, o farão perceber que a caixa era apenas um envoltório que o mantinha estagnado, preso.

Vou te falar por que tive este insight, que para mim foi tão importante e por isso quis dividir contigo. Desde que deixei o mercado formal, com carteira de trabalho assinada, tenho vivido ricas e maravilhosas experiências como empreendedora. Os altos e baixos fazm parte deste cotidiano. E, justamente por me enveredar por caminhos diferentes, percebi que quebrei as paredes. Me libertei.

E, percebi que poderia ter feito isso há muito tempo, se não estivesse tão presa às caixas e apenas querendo pensar fora delas, mas sim, sair delas.

Agora que percebi o quão gigantesco é o universo fora da caixa, algumas palavras ficam mais fortes: disciplina, foco, resignação, resiliência, determinação, gratidão, honra são as que me vem a mente neste momento.

 

Estas fotos tem tudo a ver com minha ruptura com a caixa…. Não preciso fazer apenas uma coisa, de um único jeito, para um único e determinado fim e com isso “matar” meus talentos. Mas, posso aproveitá-los, melhorá-los, ampliá-los (isso até é bíblico).

Agora é seguir em frente e continuar derrubando paredes, abrindo caixas, saindo delas.

Como estão suas caixas?

Sou Tania Klein, Coach de Desenvolvimento de Carreira.

Estou convencida de que todas as pessoas possuem dentro de si o que necessitam para prosperar em suas carreiras, por isso, meu trabalho é de transformar esse conhecimento em ação para que tenham sucesso e prosperidade, através de um planejamento focado e bem estruturado!

Sou idealizadora do programa Profissional Próspero, para quem deseja ser um profissional brilhante, prosperar na carreira, através do desenvolvimento de competências que só os grandes campeões possuem para chegar ao topo.

 

 

Você certamente já teve a percepção de que o tempo voa, escorre pelas mãos, como diria o poeta. Essa sensação é mais intensa quando somos absorvidos pelas atividades do dia a dia ou quando deixamos nos consumir pelas distrações eletrônicas modernas. E claro, você sabe do que estou falando.
 
A verdade é que embora saibamos do caráter democrático do tempo: todos nós temos a mesma quantidade, não importa se você é rico ou pobre, velho ou jovem, sábio ou ignorante, a forma como usamos esse presente varia imensamente.
 
Como você usa o seu tempo?
O tempo é precioso, onde você o investe?
 
Estava lendo um estudo que afirmava que a duração média de vida de um ser humano é de 672.474 horas. Considerando que 1/3 desse tempo é dedicado ao sono, nos restam cerca de 448.316 horas. Desse montante desconte o tempo improdutivo, seja lá qual for o seu conceito de improdutividade que você tem. Para mim improdutivo é o que eu faço, mesmo não querendo fazer.
 
Na verdade, o que você deixa de fazer agora, nunca terá a chance de fazer de novo, esse tempo não volta.
 
Como você está vivendo a sua vida? No que você está investindo o seu presente?
Se você diz que algo é importante, que é uma prioridade para si mesmo, está dedicando a isso o tempo que merece?
 
Se você soubesse que só tem mais um ano de vida, o que continuaria fazendo, o que deixaria de fazer, o que começaria a fazer?
 
Toda vez que eu paro e me questiono a esse respeito, lembro da canção dos Titãs – Epitáfio:
 
Devia ter amado mais, Ter chorado mais, Ter visto o sol nascer, Devia ter arriscado mais e até errado mais...
Verdadeiramente, espero que essa não seja a trilha sonora da sua vida.
 
Não faz sentido ficar remoendo ou se sentindo mal em relação a aspectos da nossa vida que não podemos mudar. Então, não entre nessa.
 
Quando nos concentrarmos no que podemos aprender com nossos desafios e em como os utilizamos para agregar valor à nossa vida e à vida dos outros, podemos transformar qualquer adversidade em vantagem.
 
Vale a pena viver essa experiência! Comece por aceitar a total responsabilidade por sua vida e recuse-se a culpar outra pessoa. Um pensamento lindo a esse respeito li no livro de Hal Elrod, O milagre da Manhã.
 
“O grau em que você aceita responsabilidade por tudo em sua vida é precisamente o grau de poder pessoal que precisa para mudar ou criar qualquer coisa que queira”.
Responsabilidade não é o mesmo que culpa. Culpa determina quem está em falta por algo, responsabilidade determina quem está comprometido a melhorar as coisas.
 
Revise a sua semana e calcule, exatamente quanto tempo você dedicou às suas metas?
 
O que? Você não tem metas definidas? ALERTA... sinal amarelo, ou vermelho. PARE!!! Antes de continuar a ler, pense seriamente a esse respeito.
 
Quantas palavras novas aprendeu?
Quantas vezes você disse: “Eu te amo” para as pessoas amadas?
Quantos atos de gentileza e bondade você praticou?
Quantas vezes fez uma caminhada tranquila sozinho?
Quantas refeições saboreou?
Quantas vezes você demostrou gratidão?
 
Deixa eu te dizer uma coisa óbvia, ninguém conquista seus sonhos, ou uma vida feliz e realizada sem dedicar tempo a isso. Não é uma questão de sorte ou graça divina, depende das suas atitudes agora.
 
Muitas pessoas alegam a falta de tempo para desfrutar sua vida, até que um dia acordam e percebem que o tempo se foi e agora é tarde demais. Pense nisso, viva intensamente agora, esse é o único tempo que você tem!

O Instituto Eu Consigo é uma organização sem fins lucrativos que visa auxiliar, através de assessorias e orientações gratuitas, pessoas desempregadas em busca de recolocação no mercado de trabalho. Considere fazer uma doação clicando aqui!